Oi, gente!

Tudo bem com vocês? Aqui está tudo bem!

Chega uma fase muito especial na vida do casal onde ele começa a pensar que está faltando alguma coisa para que tudo faça mais sentido. Já houve o namoro, o casamento e a vida a dois (passeios, viagens, realizações profissionais, compra de um bem imóvel, etc.). Parece que tudo já foi realizado.

Aí, um começa a olhar para a cara do outro e percebe que a casa está um pouco vazia, que os dias estão meio monótonos, entre outras sensações. Neste caso, esse casal está pronto para o próximo passo: a chegada de um filho!

Nossa Micaela!

Isso aconteceu comigo e com o Elton. Como falei no meu post de apresentação, eu nunca pensei em ser mãe. Sempre me vi como filha, namorada e esposa. Nunca me vi como mãe!

Só que, com a chegada dos 34 anos, comecei a pensar muito nessa ideia da maternidade e percebi que estava pronta psicologicamente para encarar essa nova fase. Conversei com o Elton e ele topou na hora.

Com as minhas experiências de vida, resolvi fazer este post para inspirar vocês sobre essa nova fase e como realmente se preparar para a chegada do bebê. ‘Bora lá:

1) Preparando a casa

Uma das primeiras coisas que vocês devem saber é se a casa de vocês está preparada para acomodar o bebê (ou mais, se forem gêmeos).

A casa tem mais um quarto? Será que é preciso fazer uma reforma? Vejam o que é preciso para esse planejamento e comecem, desde já, a preparar a casa para a chegada do bebê.

Quarto da Micaela quando ela nasceu

2) Fazendo exames

Para que a gravidez corra bem, é preciso que tanto a mulher quanto o homem façam exames médicos para saberem se estão em condições de gerar um filho.

Marquem consultas com a ginecologista e com o urologista e peçam todos os exames possíveis para saberem se está tudo bem com vocês.

De preferência, veja se a sua ginecologista realiza partos. Se não, busque alguma que seja obstetra para que possa tirar as suas dúvidas e para você saber se é com ela que o parto será realizado.

3) Modificando os hábitos de vida

O consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo interferem diretamente na qualidade dos óvulos e, consequentemente, no potencial fértil da mulher.

Alguns estudos atuais demonstram que as mulheres tabagistas apresentam uma tendência maior à falência ovariana prematura.

Então, que tal aproveitar essa fase para dar um tempo ou cessar de vez o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo?

4) Mantendo uma alimentação saudável

A quantidade de gorduras saturadas presentes na dieta, assim como a ingestão excessiva de cafeína pode interferir na fertilidade da mulher.

Portanto, suspender os cafezinhos e os fast-foods pode ser uma boa maneira de começar os cuidados com a sua dieta.

5) Parar de usar contraceptivos no período correto

Sempre após a avaliação dos exames e com a orientação de um ginecologista, é importante preparar-se para interromper o uso do método contraceptivo, a fim de garantir que o ciclo menstrual e as taxas hormonais estejam adequados para conceber uma gestação.

Após a consulta com a minha ginecologista e saber que tudo estava bem, parei o anticoncepcional que eu tomava há mais de 15 anos.

Engravidei 4 meses depois disso.

6) Conhecendo o seu período fértil

Toda paciente que tem o desejo de engravidar deve ter conhecimento sobre o seu próprio ciclo menstrual.

Atualmente, existem até mesmo aplicativos no celular que orientam a paciente sobre qual é o melhor período para namorar.

Eu utilizei e utilizo muito o aplicativo Flo. Ele é ótimo para conhecer o nosso próprio corpo.

Baixe o Flo:

7) Planejando a vida financeira

Todo mundo sabe que a chegada de um bebê na família gerará um custo financeiro bem grande. São roupinhas, itens de higiene, móveis para o quarto, fraldas (usam-se muitas!!!), etc.

Verifiquem se a vida financeira de vocês está em ordem para que não haja nenhum problema desse tipo!

8) Hora de brincar!!

Tudo pronto? Agora, é a hora do casal! Brinquem bastante! 😀 Faça o método da tabelinha e veja quais são os seus dias mais férteis. São nesses dias que você poderá engravidar!

Uma dica que me deram foi, após a relação sexual, ficar com as pernas para cima durante uns 20 minutos. Tem gente que diz que isso é mito, mas não custa tentar, não é verdade?

Bom, pessoal, é isso! Espero que tenham gostado do post de hoje. Quem tiver mais alguma dica, pode comentar aqui embaixo!

Beijinhos e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *